Entrevista: Os Dirt 2 Death Apresentam O Seu Primeiro Álbum

Os Dirt 2 Death são um projeto musical composto por milfontenses, que tivemos o prazer de entrevistar em Julho de 2012.

Uma vez que o primeiro álbum do grupo estás prestes a ser lançado, faz todo o sentido fazer um apanhado daquilo que aconteceu nestes dois últimos anos e que culminará com o lançamento de “A New Breed”.

Vamos então saber o que os Dirt 2 Death têm para nos contar.

banda dirt 2 death

 

Pergunta: Como foram estes últimos dois anos? Como evoluíram os Dirt 2 Death desde o Verão de 2012?

Bem, na verdade muita coisa mudou. Conseguimos finalmente no inicio de 2013 incluir um novo membro no projecto para tapar a vaga na segunda guitarra. Essa pessoa foi o nosso amigo Zambujeira, que entrou cheio de vontade, deu-nos a estrutura que estava a faltar e com ele mais uma vez conseguimos apurar o nosso som.

Infelizmente não conseguimos tocar tanto quanto queríamos, parte por culpa nossa porque definimos que queríamos estar completamente virados para a gravação do album e não termos a necessidade de se preocupar com mais nada. Também contribuiu muito para isso a ida do Costa para França em trabalho, o que faz com que não possa de momento estar com a banda.

 

Pergunta: Sentem que é mais fácil tocar metal hoje em dia, do que quando vocês começaram?

Para uma banda num local tão pequeno como Milfontes as coisas obviamente continuam a não ser fáceis. Verdade mais uma vez que não fizemos muito por tocar, por indisponibilidade por vezes e por querermos tanto investir neste álbum, mas continua muito difícil.

Agora a partir de Abril voltamos aos palcos que é onde mais gostamos de estar. É já dia 11 de Abril que temos a oportunidade de partilhar palco com enormes bandas no Abril Mira Fest.

capa do álbum new breed

Pergunta: Na entrevista anterior, vocês referiram que iam gravar o vosso primeiro álbum com calma e que o mesmo apenas seria lançado quando estivesse como o idealizaram. “A New Breed” é o álbum que queriam fazer?

Sem dúvida. Deu muito muito trabalho. Até nisso somos um pouco traídos pela localização da nossa humilde vila porque é muito difícil arranjar os recursos que precisávamos.

Acabámos por gravar com o João Mateus do Estúdio Toca a Gravar em S.Luís e depois enviámos o material todo para “a capital” para ser masterizado pelo Tiago Mesquita da Mesquita Records, que é um rapaz da nossa idade muito talentoso e com grande conhecimento e técnica para o metal.

Posso dizer que demorámos cerca de 1 ano desde a primeira vez que se deslocámos ao estúdio até agora esta fase em que lançamos o álbum ao público. Depois de muito suor e muitas centenas de euros investidas sabe mesmo bem ter este CD. Gravámos as melhores 10 de Dirt 2 Death e esperamos que seja um sucesso.

 

Pergunta: Não é uma pergunta de resposta fácil, mas como é que definem o vosso álbum?

Não quisemos um álbum que fosse uma linha recta. Optámos por fazer com que exista uma evolução na forma como as coisas fluem. Apostámos em iniciar o álbum com os sons mais puros e duros que transmitem emoções mais cruas, e no decorrer do álbum vamos apresentando as músicas mais melódicas e que transmitem mensagens mais delicadas e elaboradas. No fundo, o que queremos é conseguir prender as pessoas desde que colocam o dedo no “play” até à ultima faixa…esse é obviamente o nosso maior objectivo.

 

Pergunta: Esperam que este trabalho vos possa abrir novas portas?

É o que mais esperamos deste álbum e o porquê de termos investido tanto nisto. Esperamos conseguir dar-nos a conhecer um pouco por todo o país, construir novas amizades com bandas e criar laços para o futuro porque uma banda que trabalhe sozinha nunca conseguirá ir a lado nenhum.

 

Pergunta: E agora? Como será o futuro próximo dos Dirt 2 Death?

Agora é tocar. Arranjar muitas datas e tentar conquistar alguns seguidores a cada concerto porque são eles que nos dão força para estar sempre a tentar ir mais além. Tudo o que houver será para aproveitar e prometemos fazer muito barulho!

 

Pergunta: E que tal aproveitarem as próximas linhas para fazer o vosso marketing? Porque é que devemos todos comprar o vosso álbum?

Acima de tudo somos jovens aqui da vila e do concelho de Odemira. Trabalhamos sem apoios e criamos os nossos próprios recursos. É muito importante que os nossos conhecidos queiram fazer parte “disto”. Confiamos que a nossa música tem qualidade e acreditamos com tudo o que nos vai na alma que quem nos comprar um CD não se irá arrepender.

Mesmo para as pessoas que não têm o hábito de ouvir metal, existe sempre um primo ou um amigo que gosta de música mais pesada e é uma óptima oportunidade para mostrar “aos de fora” o que se faz cá em Milfontes.

Cada passo deste álbum foi pensado em quem gosta de nós e é para todos vocês que “A New Breed” é a nossa primeira longa produção com muitas guitarradas, headbang e vontade de arruaçar!

Para encomendas, dúvidas ou só mesmo para nos dar apoio é só fazer uma visita na nossa página da banda que é:  https://www.facebook.com/d2death

 

Muito obrigado pelo apoio de todos!!!

 

Connie, Telmo, Costa, Renato e Zambujeira.